Posts do fórum

Vyasa
16 de jun. de 2021
In FAQ's
Um projecto de arquitectura desenvolve-se por fases. A passagem à fase seguinte implica sempre a aprovação/deferimento da fase anterior. Assim, com base num diálogo constante entre o Dono de Obra e o Arquitecto fica garantido que o resultado final é aquele que melhor responde às suas necessidades e anseios. Na sequência da primeira reunião, o Dono de Obra e o Arquitecto decidem aquilo que vai ser projectado, definindo o Programa Preliminar. Por exemplo: quantos quartos, salas e outros espaços, assim como opções estéticas e condicionantes orçamentais. São analisadas as questões legais e planos em vigor. É também nesta fase que se discutem os prazos de elaboração do projecto e a constituição da equipa de projectistas. Na sequência das decisões tomadas, o arquitecto apresenta uma proposta de honorários e é celebrado um contrato. Regra geral um projecto tem 5 fases, podendo variar dependendo do seu grau de complexidade: Estudo Prévio É nesta fase que o arquitecto desenvolve o conceito preliminar do projecto, de acordo com o estabelecido anteriormente. Normalmente, consiste na apresentação de desenhos e/ou imagens e/ou maquetas, de modo a permitir que o cliente entenda na totalidade o projecto que lhe é proposto. É nesta fase que se inicia o desenvolvimento dos Projectos de Especialidades, sobre a coordenação directa do arquitecto. Licenciamento Dependendo do tipo de projecto, este pode necessitar ou não de licença por parte das entidades competentes. Nesta fase o arquitecto desenvolve o projecto em conformidade com o estabelecido na fase anterior, preparando o processo de aprovação pela respectiva Câmara Municipal, bem como das demais entidades envolvidas no licenciamento do mesmo, perante as quais o Arquitecto é o responsável técnico do projecto de arquitectura. Em simultâneo, ou posteriormente, ao licenciamento do projecto de arquitectura proceder-se-á à entrega dos restantes projectos de especialidadeslegalmente exigidos para aprovação. Caso não haja necessidade de licenciamento, esta será uma fase intermédia de desenvolvimento do projecto. Projecto de Execução/Mapas de Medições e Vãos/Orçamentos Após aprovação por parte das entidades competentes, o Arquitecto prepara o Projecto de Execução, apresentado sob a forma de desenhos e textos, onde se detalham todos os trabalhos necessários para a execução da obra (por exemplo, processos construtivos, materiais, etc.), de fácil interpretação por parte dos diversos intervenientes. Em paralelo, inicia-se o processo de medições e orçamentos, onde se discriminam as quantidades de materiais a utilizar, tipos de trabalho e forma de execução, de modo a poder aferir-se o valor da obra. É a partir destes documentos – projecto de execução, medições e orçamentos, em conjunto com as condições técnicas, gerais e específicas, referentes à obra - que no futuro será garantido o cumprimento da obra por parte do empreiteiro seleccionado. Selecção do empreiteiro da obra É nesta fase que o cliente selecciona o empreiteiro da obra. O Arquitecto pode colaborar com o cliente nesta fase, ajudando-o a analisar a capacidade técnica dos candidatos, bem como o preço e prazo para a concretização da obra. Nem sempre o preço é um factor determinante na adjudicação, mas sim a conjugação de um vasto conjunto de factores. É também nesta fase que se escolhe, de acordo com as regras legais aplicáveis, o director de obra, pessoa que dirige a execução da obra, garantindo a sua qualidade e conformidade com o projecto aprovado. Assistência Técnica à Execução da Obra Esta é a fase de materialização de todo o trabalho desenvolvido até ao momento. O Arquitecto deve certificar-se que o seu projecto está a ser respeitado em todas as suas componentes. Compete-lhe ainda prestar esclarecimentos sobre eventuais dúvidas de leitura dos desenhos, prestar informações complementares sobre o projecto, ajudando o dono de obra na verificação da qualidade dos materiais e da execução dos trabalhos. Isto não significa, no entanto, que o Arquitecto esteja obrigado à assistencia técnica á obra. Essa situação deverá estar prevista no contrato entre as partes e constitui uma mais valia para o cliente.
0
0
6
Vyasa
16 de jun. de 2021
In FAQ's
Não. Contratar um especialista de qualquer área é sempre um investimento quando se procura qualidade. Ao longo de todo o processo, o arquitecto auxilia o cliente na tomada de decisões que optimizam o seu investimento, na procura constante da melhor relação qualidade/preço nas diferentes opções construtivas. Os honorários do arquitecto não são apenas uma parcela a somar ao total da obra. O trabalho do arquitecto introduz não só uma mais-valia como a garantia da sua concretização. Assim, na sua globalidade, todo o processo (projecto e obra) não ficará mais caro se for envolvido um arquitecto desde o início.
0
0
2
Vyasa
16 de jun. de 2021
In FAQ's
Sim, porque qualquer obra deve ser precedida de um projecto. O arquitecto tem os conhecimentos, as habilitações académicas e legais para fazer a avaliação das condições de investimento, elaborar os projectos de arquitectura, coordenar projecto e obra, tirando o melhor partido das condições existentes. Além disso, a sua formação e conhecimentos, permitem-lhe ver o projecto no seu todo. Poupa-lhe tempo por saber planear, gerir e coordenar o processo de projecto, ultrapassando as suas preocupações.
0
0
2
Vyasa
16 de jun. de 2021
In Conversas
A caixilharia é parte fundamental da identidade de um edifício. Perder esta linguagem é perder a identidade não só do edifício em questão mas por vezes de toda uma rua ou cidade. Reabilitar é urgente. Reabilitar como um todo tem de ser o processo. Actualmente grande parte das reabilitações feitas não são compatíveis com os revestimentos tradicionais existentes nos edifícios. Segundo um estudo realizado pela Universidade de Coimbra, o abandono das técnicas tradicionais de aplicação de argamassas faz com que os elementos pétreos, nomeadamente molduras dos vãos e das janelas, se comecem a soltar e a degradar. No interior as paredes revestidas por argamassas de cimento Portland e tintas acrílicas vão degradar-se porque não "respiram" e as respectivas argamassas, fendilhar e estalar. Este processo de remoção da argamassa tradicional, leva a que se apague parte do património arquitectónico de um povo, de uma cidade e consequentemente a sua identidade. Ao manter as técnicas tradicionais nos revestimentos históricos, consegue-se uma cidade mais autêntica e apesar do turista não ser um grande conhecedor, quando percorre a cidade sente um carisma diferente, a alma da cidade, a história da cidade.
A IDENTIDADE NA REABILITAÇÃO content media
0
0
4
Vyasa
16 de jun. de 2021
In Conversas
Grande parte dos leitores já deve ter visto o filme “O Diabo veste Prada” realizado em 2006 com a interpretação de Meryl Streep no papel principal. Um filme que demonstra que a ética e persistência de uma jovem contra o culto da imagem, à promoção de falsas ilusões, prevalece e consegue transformar o destino de uma editora. O titulo escolhido para esta crónica como é natural, não está relacionado com a famosa marca italiana. A Arquitectura nunca poderá vestir Prada porque a arquitectura não é uma moda, não deixa de se usar e tem influência directa no bem-estar e na qualidade de vida que proporciona a todos. Ela nunca poderá ser a valorização de uma imagem sem conteúdo ou sem qualquer contextualização. Nunca poderá ser a promoção do efémero. Em contrapartida todos nós apreciamos os clássicos e porquê se já não estão na moda? Exactamente por isso, tornaram-se clássicos porque de certo modo o conteúdo era mais forte do que a imagem, sempre actuais devido à sua influência em nós e por isso continuamos a gostar da arquitectura do passado e a fazer milhares de quilómetros para ver in loco esse passado, essa história, a alma do local. Na literatura os grande livros são lidos mais do que uma vez e ao reler procura-se novas respostas e encontra-se novas mensagens, também na arquitectura antiga se consegue encontrar respostas e inspiração para as necessidades actuais. A Arquitectura tem a capacidade de transformar e influenciar a sociedade quando pensada e concebida de forma séria e sem querer aderir à moda do momento. A Arquitectura tem de continuar a apostar na inovação, na utilização da melhor tecnologia, deve ser a referência de uma época de modo a influenciar positivamente o nosso futuro, salvaguardando e inspirando-se sempre nas raízes locais. Tal como no passado, devemos continuar a respeitar os cânones da ordenação, distribuição, harmonia, proporção e simetria seja em construção nova seja através da conveniente reabilitação ou transformação do espaço e património construído.
ARQUITECTURA NÃO VESTE PRADA content media
0
0
5
Vyasa
16 de jun. de 2021
In Conversas
"Para fazer bem é preciso compreender e ouvir. É uma arte complexa a da escuta. É difícil porque muitas vezes as vozes dos que têm mais coisas a dizer são discretas e finas. Ouvir não é obedecer, escutar não é encontrar compromissos, ouvir é entender e então fazer melhores projectos" Arquitecto Renzo Piano
A ARTE DE COMPREENDER E OUVIR content media
0
0
1
Vyasa
15 de jun. de 2021
In Conversas
1. Este Fórum tem como temática principal a arquitectura. Dentro desta temática podem ser abordados temas como a cidade, a praça, a rua, a árvore, o passeio, o estacionamento, a casa, a eficiência energética, a mobilidade, as novas tecnologias, as técnicas construtivas, a iluminação, a legislação, a obra, materiais e muitos outros. 2. Todos os membros do Fórum devem respeitar todos os intervenientes e nunca responder com insultos, quer publicamente no Fórum, quer através de mensagens privadas. Deve-se compreender que podem existir diferenças de conhecimento entres os participantes pelo que a troca de opiniões deve ser didática e não exibição de conhecimentos. 3. Os membros devem colocar as suas mensagens nos Fóruns correspondentes ao conteúdo da sua mensagem. A equipa de Moderadores tem plenos direitos para transferir as mensagens que não se encontrem devidamente colocadas. 4. Usar sempre a Pesquisa (Search) antes de criar um novo tópico. Caso encontre um tópico já abordado, leia-o. Se a dúvida permanecer, deve responder nesse mesmo tópico e não criar um novo. 5. É proibido qualquer tipo de publicidade a sites, entidades, empresas, produtos, serviços ou pessoas. 6. Todas as imagens e videos publicadas serão da responsabilidade do membro. Todas as fotos devem ser originais (da autoria de quem as está a postar), caso não o sejam deve ser mencionado ao autor das mesmas 7. O desrespeito destas regras é motivo para advertência e possível expulsão do Fórum. O registo do utilizador no site e a colocação de mensagens no Forúm pressupõem que o membro leu e aceitou as regras de utilização e que concorda com elas, ficando sujeito às suas consequências. Boas conversas. Participe.
0
0
4

Vyasa

Colaborador
Mais ações